domingo, 25 de outubro de 2009

Carta Aberta (*) aos Homens Honrados de Portugal

Há oito anos (*), escrevi uma Carta Aberta a político cujo destino parecia reservar-lhe a cátedra de Primeiro Ministro. Infelizmente, ele, julgando-se talvez incapaz de mudar o seu partido, tomou uma medida radical, fundando um novo, e até hoje é à sua traverssia do deserto que eu assisto, porque sei que Homens como esse ex-líder político, fazem falta a Portugal.

Em vez de andarem a brincar aos " partidos " ou a alimentar facções, esses Homens Bons e Justos, deveriam " unir-se " e agregrar à volta deles muitos dos " injustiçados " da pseudo-democracia que está a " minar " e arrastar a pátria lusitana para o abismo.

Pelos vossos filhos e pela pátria, levantai-vos, Homens Honrados de Portugal, e mostrai ao país e ao Mundo o que é ser um Digno Herdeiro da Gesta lusitana.

Carta aberta ao Futuro
Primeiro-Ministro de Portugal


Ex.mo Senhor,

Hoje, decidi levantar-me pela aurora — porque as asneiras dos senhores que governam Portugal são tantas que até insónias já me provocam — e escrever-lhe esta carta, que talvez ninguém ouse publicar, como já aconteceu com dezenas de artigos meus — opiniões e verdades, obviamente tidas e ditas antes do tempo, e por isso muito mal-amadas. É que nós, os irreverentes, os idealistas, os privilegiados que viram nascer e lutaram para Abril fosse todos os dias da nossa vida, não suscitamos ou pautamos a nossa revolta pelo compasso alheio, nem pelo relógio dos políticos, que nada fazem a tempo, que nunca seguem a voz do coração — se é que o têm — porque, esses, deixam-se arrastar nas ondas da opinião, quando não ficam à espera que, numa sondagem, mais ou menos fictícia, surja a aragem proprícia, anunciadora de grandes feitos. Quem quer andar sempre na crista da onda, nunca saberá navegar e jamais será marinheiro de alto mar...

Bem se vê que esses coitados, tantas vezes deslumbrados por um canudo ou um dr comprado num desses supermercados da mal-educação, quando não é da droga, ou da alienação, se preferir — que se tornaram os nossos estabelecimentos de ensino — nem para cataventos ou palhaços de circo servem, porque, assim, tão abandalhada, a arena e a ribalta que ocupam já não atrai nem faz rir ninguém. É chegada a hora da limpeza-geral! Caiu o pano para os travestis! Portugal precisa de mulheres e de homens assumidos e destemidos que não se envergonhem do que são e tenham a coragem de o ser em toda e qualquer ocasião e jamais se esqueçam que coerência rima com consciência e decência.

Sinceramente, espero que o senhor não só não lhes siga as pegadas, mas, sobretudo, tenha a coragem de operar, na política portuguesa, a viragem de cento e oitenta graus que os democratas e cidadãos activos há muito vêm exigindo. O compadrio, a corrupção e a pouca vergonha sufocam-nos, senhor Futuro Primeiro-ministro!

Está na cara que o senhor o fará e conseguirá, porque quem teve a audácia de pegar num partido, de enfrantar barões assinalados, partindo — desculpe-me a redundância — a loiça toda e, depois de recolar os cacos, não se deixou corremper pelo poder, também tirará do poleiro os garnisés que, por aí de galo cantando, Portugal estão depenando. Tenha fé, porque a fortuna sorri sempre aos audazes — e o senhor é um deles — , porque é, seguramente, muito audaz, quem teve a humildade de atravessar corajosamente o deserto do opróbio e do escárnio políticos, e soube tirar da derrota a força e a semente da vitória que antevejo e desejo. É que, se o senhor até nem necessita mesmo nada da política para viver, Portugal precisa muito de si, e de homens como o senhor, para sobreviver. Os que, actualmente, se estão a armar em governantes, não passam de uns chicos-espertos, coveiros, ou de uns falsários que já não sabem o que enterrar e falsificar: se a cédula ou a certidão de óbito que a Portugal querem passar!

Se o digo e o escrevo com tanta convicção, é porque, não sendo do seu partido, nem me revendo em nenhum dos actuais, vejo na sua « démarche » política e na sua frontalidade « a ousadia e a verticalidade » de Francisco Sá Carneiro, que depois de fundar e ajudar a lançar as bases um partido « reaccionário », em tempos adversos, contra a corrente e a “ pensée unique”, — que os falsos democratas e pseudo-revolucionários, verdadeiros oportunistas daqueles tempos, da estirpe proletária se reclamando, ao nobre povo queria impingir — não só teve a humildade de aceitar a derrota, mas sobretudo arranjou forças e teve a coragem de tudo recomeçar para o conduzir à vitória que todos conhecemos.

Estou convicto que, no fundo do seu coração, Sá Carneiro sabia que um dia a Pátria lhe pediria e lhe exigiria um (con)tributo muito maior : a própria vida. E, altruista, ele ofereceu-no-la, generosamente. Por isso, Francisco Sá Carneiro, para mim, mais que o Messias de quem ouvi falar em 1973, será sempre o Herói e Mártir, que chorei em 1980! Como Cristo, ele doou a sua vida por todos os portugueses, mesmo por aqueles que nunca mereceram a democracia. Esses, oportunistas ou irresponsáveis abstencionistas, deviam viver no Afeganistão ou sofrer num Gulag qualquer até aprenderem que quando a Responsabilidade e a Liberdade não se assume(m) e exerce(m), a Democracia perece.

Oxalá o senhor cumpra o seu desígnio e realize o seu sonho, — se for para bem de Portugal — , mas que Deus ( ou a Nação ) não lhe exija tanto, para que, daqui a vinte anos, nenhum bravo, que porventura agora está nascendo, sintindo o odor nauseabundo da Pátria moribunda, se encha de coragem para vir enterrar os mui sinistros e sui generis “pink boys ” que, hoje, impunemente, vão hipotecando o futuro do nosso país.

Coragem, senhor Futuro Primeiro-Ministro de Portugal


(*)Escrita a 08-08-2001 às 05:37:30
LMP — Luxemburgo, 25-10-2009

sábado, 24 de outubro de 2009

A República dos pingaRÉUS !

Ao receberem a Liberdade de mão beijada, os portugueses, povo heróico e intrépido, que, quinhentos anos antes, ao Mundo dera outros mundos, passaram a serpentear pelo lamaçais da euro-dependência, rastejando como serpentes, vivendo das esmolas e subsídios, escutando apenas os cantos das sereias e as promessas dos vendedores de comodismo e de facilitismo.

Não admira, pois, que na hora de serem homens e mulheres com espinha dorsal, os lusos prefiram enfiar a cabeça na areia como a avestruz, à espera que o cheiro nausebundo das desgraças que eles " apadrinharam " passe.

Como há muito que Portugal deixou de ter e de ser um desígnio nacional, e qualquer " monhé " pode armar-se em Viriato e salvador da pátria, nesta República dos pingaRÉUS.

Réus e culpados, mas jamais condenados.
Até quando?

LMP - Luxemburgo, 24-10-2009


nb: por curiosidade escrevi " pingaréu " no " motor de busca BING " e imaginen que fui ter a uma página do meu romance Caminhos de Ilusão, publicado num dos meus blogues. Presumo que " PINGARÉU " ou Pingaré - em terminologia popular, de " PINGARELHO " - sinónimo de pelintra seja mesmo uma galicismo transmontano. " Armar-se ao " pingarelho " quer dizer " lamuriar-se " para obter um favor alheio ";
" PINGUELETE " - outro sinónimo, sginifica pauzinho de armar as esparrelas de apanhar pássaros, é isso mesmo que são os nossos políticos e, porque culpados até às orelhas, para mim são uma espécie de " réus " e figurões que não passam de gatos pingados. Mas o melhor é conferirem isso tudo na página 1102 do Dicionário da Língua Portuguesa - 5ª edição da Porto Editora.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Quando o PPD não tinha medo de ser " reaccionário " !

Estávamos em pleno Outono de 1973:
" Simplesmente Maria " era o folhetim radiofónico que apaixonava Portugal; no ultramar a luta contra os " turras " não abrandava, mas Spínola defendia entrega da Guiné, que não dava coisa que prestasse; as Conversas em Família, do professor Marcelo Caetano, batiam picos de audiência, até porque o povo não tinha outra escolha e tinha o Senhor Presidente do Conselho em muito boa conta; eu, que vivia nos Salesianos de Manique do Estoríl, começava a sentir o peso de um dilema que me exigiria muita audácia coragem: libertar-me da " Celestial Tirania ", como mais tarde escrevi, sem magoar ninguém, isto é os meus pedagogos e a minha família.

Foi nesse contexto de emancipação e libertação exterior, que pela primeira vez ouvi falar de um certo Sá Carneiro, deputado da ala liberal que preferia afrontar o regime salazarista por dentro, desafiando a DGSE - ex-Pide - , a polícia secreta portuguesa.

Em dezembro de 1973, obedecendo à minha consciência, abandonei o seminário, libertando do jugo sagrado e assumindo as consequências de tal decisão. Agora, que me conheço, sei que os sagitários detestam " facilidades " e adoram os " desafios ". Até parece que luz colhida no inferno tem mais encanto!

Por isso, quando nos dias que se seguiram 25 de Abril de 1974, vi Sá Carneiro ser convidado pelo MFA - Movimento das Forças Armadas - para assumir funções no Primeiro Governo da Era da Liberdade, senti um orgulho e um alívio, porque com ele os " oportunistas esquerdistas " não fariam farinha.

Em Agosto de 1974, regressando a trás-os-montes como o diploma do Curso Complemntar dos Liceus e a consequente Aptidão para minha inscrição na Faculdade de Direito de Coimbra, a minha adesão ao PPD - Partido Popular Democrático - impôs-se como um Dever Cívico e uma questão de Honra: eu, que tinha assistido ao primeiro 1º de Maio em Lisboa e conhecia as lutas intestinas no seio do MFA, sabia que para reconstruir um Portugal livre os Homens eram poucos!

O Verão de 1974 passei-o a instalar, com os " Homens Bons " de Murça, o PPD no concelho, percorrendo e palmilhando as estradas e os carreiros do nosso município e organizando sessões de esclarecimento junto das populações.
O nosso " ideal " era o carburante que gerava na nossa alma o desprendimento que fazia brilhar nos nossos olhos aquele entusiasmo contagioso que arrastava as multidões por onde passávamos.

Os anos de 1974 e de 1975 foram realmente árduos, mas nas nossas hostes ninguém poupava esforço, engenho e arte, para chegarmos à vitória. Apesar do desejo de protagonismo, nós sabíamos que a União fazia a Força e as " divergências " rapidamente eram sanadas, porque Portugal estava sempre em Primeiro no nosso espírito.
Nos primórdios da " democracia " o PPD não tinha medo de ser " reaccionário "!

Hoje, mais que a saudade desses anos " loucos " e o orgulho do dever cumprido, é nojo e vergonha dos caciques imbecís que se aproveitam do partido para se " armarem " aos cágados e fazerem figuras de otários no Reality Show que se tornou a política portuguesa.

Oxalá, amanhã, o nosso mártir consiga calar e pôr no sítio a " ambição e a cegueira " desses " pseudo-pêéssedês ", para bem de Portugal, que tanto precisa de quem o livre da ditatura cor-de-rosa que tão negro futuro lhe assegura.


LMP - Luxemburgo, 21-10-2009
Links:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_S%C3%A1_Carneiro
http://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_Social_Democrata_(Portugal)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_dos_Cravos

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Segundo uma sondagem, portugueses dão nota negativa a Cavaco Silva! Porquê? - pergunto eu.

Portugueses dão nota negativa a Cavaco Silva!
Porquê? - pergunto eu.

Mais, conhecendo nós as " habilidades " do poder manipulador, que credibilidade terá tal sondagem? Quem a encomendou? A quem interesse tal " prenda " , conhecendo nós o Estado lastimável da Nação?!
Portugal é um país minado por " bandidos " de colarinho branco que se servem da legitimidade democrática e da imunidade política para agirem impunemente.

Ora bem,todo o mundo sabe que são as afinidades e as cumplicidades que fazem as " amizades " e as companhias.

Sei e reconheço que o Senhor Presidente da República, por excesso de brio, honestidade e de imparcialidade, não se apercebeu na casca podre que os " bananas " do partido da rosa , sórdida e sorrateiramente lhe puseram no caminho.

Concordo que, se o seu grito de revolta me fez descobrir um Presidente mais humano - no erro também - não " abonou " a seu favor nem foi, pelos vistos, compreendido pelos portugueses, que " aprovaram " por larga maioria o " modus vivendi, operandi et dividendi " do " pink entretainer " que se armou em regedor da lusitânia.

Porquê?

Porque, definitivamente, o Senhor Presidente não é como eles e ainda " perturba e atrapalha " os chicos-espertos e as corjas que vivem dos golpes que dão no baú da
pátria, através de adjudicações de obras públicas onde sempre há euros aos maços, deixados debaixo da gaveta ou metidos sorrateiramente nos bolsos, para pagar as moradias de luxo, os bólides do fim de semana ou as meninas de programa.(1)

O Senhor Presidente da República não é cego, nem idiota ou invertebrado como eles, que elegeram um homem de quem até os ingleses dizem que é " corrupto " e só ainda não está no chelindró porque outras forças obscuras o protegem em sustentam. ( Ou pensam que o presidente do Eurojust - armado em Dark Vador - tentaria intimidar os juízes do processo freeport, se o " grande chefão " fosse realmente um justo e estivesse inocente? ) - Quem não deve não teme !

Se os portugueses não tivessem a memória curta, se fossem homens e mulheres responsáveis, ou não precisassem do RMG e das pensões miseráveis para se arrastarem à face da terra, há muito que teriam posto a cavar um PM sobranceiro e arrogante, que, prometendo e não cumprindo, enganou deliberadamente, não era digno de se recandidatar a coisa nenhuma. Se tivesse um pingo de vergonha, ter-se-ia demitido para provar a sua inocência no caso de corrupção em que se viu envolvido.

E como esta comunicação social é uma fábrica de reciclagem de promiscuidade, onde tudo é fácil, fútil, inútil e obecede ao princípio dos " fretes e dos favores " dos senhores a quem branqueiam a alma e lustram as mangas, quando não puxam as tangas dos mecenas e dos seus oráculos prediletos, está tudo dito !

Totus corruptus !
Totus larapius !

Esta é uma sondagem que vende, rende, mas ofende a inteligência de quem não se vê nestes cortejos fúnebres nem, muito menos, aceita que anões morais e meios-homens se aproveitem da ingenuidade e da ignorância de mentigos esfomeados para se manter impunemente no Poder!

Realmente, cada vez me convenço mais que Portugal está entregue à bicharada!
Cuidado, proxenetas políticos, a peste latente e subjacente, que espalhais pela terra lusitana, contém o vírus de uma epidemia endémica que vos levará pró inferno. Só espero que esse dia não demore muito a chegar. Ontem já era tarde.


LMP - Luxemburgo, 19-10-2009

NB : comentário sobre
http://www.correiodamanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090&contentid=E93EBA1C-C0F9-4165-B580-06C01B42E6C9
(1)http://diario.iol.pt/sociedade/corrupcao-governo-medidas-estudo-confianca-tvi24/1070070-4071.html

Forum Virtual: Recordando o golpe constitucional de Sampaio.

Durante anos, fui uma espécie de profeta da desgraça que clamava nos ermos da lusilândia, via o ciberespaço, mas tenho a certeza que por tão inóspitas paragens ninguém me escutava e muito menos descodificava.
Tenho vezes em que a minha linguagem é hermética, outras sintética,quando não chega a ser patética.
Hoje transcrevo para aqui um artigo de opinião, contra o golpe constitucional em que o então Presidente Sampaio dissolveu a Assembleia da República para derrubar um governo de maioria e assim entregar o Estado aos seus correlegionários.


CONVITE A UM SUICÍDIO COLECTIVO !

Por LMP - Luxemburgo ( 01-12-2004 06:11 )

Referente ao artigo:
Sampaio considera que Governo não tinha condições



Vá lá alguém compreender a irracionalidade presidencial!

Há meses atrás, quando os boys latiam e exigiam eleições, decidiu conceber um governo, apesar da descrença que tinha nele, no oportunismo de o fazer naquela hora, mas decidiu dar-lhe vida, interrompendo-a agora, brutalmente! O árbitro sempre andou em campo com manifesta e assumida dualidade de critérios: aos camaradas da sua cor nem amarelos, apesar das chincalhadas e das resteiradas, ao adversário foi cartão vermelho directo, sem aviso! À primeira oportunidade, no dobrar da esquina: uma facada mortal, em pleno coração!

Está visto e provado, que o presidente defende e pratica o aborto aos olhos de toda a gente e usa a bomba atómica impunemente? A história encarregar-se-à de o julgar e o colocar no lugar que mereceu.

É preciso não esquecer de que foi este mesmo presidente que deixou outros filhos da nação portuguesa esbanjar a herança e quase arruinar a família. Este pai presidente é a imagem do pai que acaricia o filho pródigo, que esbanjou tudo, para desespero dos outros que tudo fizeram para poupar e salvar a família da miséria e da desgraça! Mas que pai mais injusto!

Porém, como estamos em democracia e a democracia não se cumpriu, a mesma legalidade que deu vida a este governo foi violada, penso que se pode dizer que ao aplicar este golpe na democracia, o presidente conseguiu a proeza de fazer um golpe de Estado sozinho. Mas que presidente omnipotente, que general! Nem precisou de expôr as suas tropas e os seus capangas! Sim senhor, o homem merece ser promovido a Marechal!

Só que eu – e milhões de portugueses - não me esqueço que este mesmo presidente foi conivente com a roubalheira socialista e permitiu que o camarada Guterres se mantive-se no poleiro à custa da promiscuidade limiana.

Hoje, à luz da Casa Pia, percebemos porquê: os boys tinham-se treinado em segredo. Aceitando esta manobra limiana, o presidente não só foi cúmplice como apadrinho esta promiscuidade leiteira. Quem não se lembra da viagem de reconhecimento que se apressou a fazer ao Minho para dar o milho e os améns ao corajoso deputado indígena?

Agora, como bom timoneiro, como orquestrador deste golpe, desta romaria triunfal – que juga ser a campanha eleitoral - o presidente convida os portugueses a entregar o ouro aos bandidos, mas como os bandidos são irmãos e amigos dele, os ditos cujos viram salvadores da pátria, a mesma que saquearam e enxovalharam.

Cúmplice, conivente e consentâneo, o presidente diz-lhes que estejam descansados, porque fica tudo em família, pois os portugueses que votarem neles se devem julgar da mesma mesma raça e da mesma laia! Ele sabe muito bem que há portugueses que comeram muito queijo, ele conhece portugueses que sofrem de amnésia, sem contar os milhões de invertebrados e prostitutos que se vendem por tuta-e-meia ou por uma promessa de subsídio para alimentar a dose de cocaína, sem falar lo livre transito das SCUTS para tudo quanto foi moinagem e ladroagem.

Então roubem-se uns aos outros, atraiçoem-se uns aos outros e porque não, e o mar é grande, não derretem tudo e de uma vez por todas?
Resta me a esperança de que os portugueses sejam inteligentes e não escutem o canto desta sereia que os convida a nadar até alto mar sem bóia de salvação! Sabem para quê ou é preciso desenhar a última cena?

Atenção portugueses, está em marcha uma seita macónica que vos vai envenenar e obrigar a cometer suicídio colectivo para melhor violar a vossa ingenuidade e devorar a vossa alma!

Depois, quando tudo estiver perdido, o chefão – boy mandado promovido a general, até já sabe qual o tipo de veneno que vai tomar: a sicuta! Elementar, meu caro - porque a Portugal não vais sair nada barato - Sócrates, o filósifo das novas fronteiras e das novas maneiras de propagar a demagogia e a infâmia xuxalista! O papagaio imita muito bem o mestre!

Será que Deus vai escrever direito por linhas tortas? E estará adormecido ou fechará os olhos para não ver os tempos de infâmia e desolação que começam aproximam?
Será que os egrégios avós da pátria lusitana irão permitir tal sacanagem?
Será que uma nação assim terá o direito de viver depois de tudo isto?

No mundo podre em que vivemos e com tanta podridão por todo o lado, poio a mais ou a menos já pouco importa, pelos vistos, a menos que em Portugal ainda haja Viriatos, Afonsos, Nunos e Sebastiãos e homens que por nada deste mundo se venderão ou acobardarão !

Será Portugal digno deste povo e de políticos destes?

Bem te avisei, Santana! Bem te avisei que tinhas que ter pulso mais forte que os brutus da tua família e estar de atalaia! Bem te avisei que o árbitro já sabia o resultado final, mas confundiste responsabilidade com amzide e da falsidade dos teus amigos partiu o convite a este golpe presidencial.

Só te resta aprender a lição, desfazer as falsas alianças e partir para a batalha com a mesma certeza, a mesma convicção e a mesma coragem que tiveste há 30 anos quando afrontaste a escumalha comunista! Pede perdão e serás perdoado, ou então entrega o comando ao outro que contigo tenha luta em Abril de 1974, porque o ajuste contas chega em Fevereiro!


LMP - Luxemburgo, 19-10-2009

NB: Link da época
http://www.mp.gov.pt/mp/pt/GabImprensa/NoticiasLusa/GC16/20041209_Dissolucao.htm

http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1367&id=1210571

Orçamento de Estado para 2010: a farsa de Ali-Socra e dos 230 Paxás !


Dentro de dias, o novo Governo de Portugal, vai ter que enfrentar o seu primeiro pugilato da " treta barata, abstrata, demagoga e cínica. Todos os renomados comentadores, opinadores ou consultores dirão que nenhum partido pode cometer o anátema ou crime sacrílego de lesar sua majestade Socrates II, o maior " bluff " ou, se preferirem e a ter fé nas sondagens, o pior PM - Primeiro Ministro - da democracia portuguesa, que escolheram como " pastor ".

Normal, todo rebanho precisa sempre de um...
Quanto aos atributos ou defeitos do PM, a História cá estará para o julgar.

Até parece que o " compadrio democrática " goza de tolerância e de permissividade máxima. E como o parlamento é o retrato desta " sacrossanta unanimidade ", os eleitos alinharão todos pelo mesmo diapasão e tocarão todos a mesma música perniciosa, guadando as diatribes inflamadas, as lágrimas de crocodilo e o canto das carpideiras para mais tarde: é que, se coragem tivessem e ao serviço da nação estivessem, só poderiam chumbar o orçamento de estado, até porque todo o munbdo sabe que é virtual, pois os cofres estão vazios, mas os novos deputados estarão seguramente mais preocupados com os tachos e os dividendos futuros e os ordenados e as regalias que a Assembleia da Repúlica lhes concede.

É que, desde que o " queijo limiano " entrou pela porta grande no areópago da lusitânia, a " promiscuidade " deixou de ser crime ou comportamento reprovável, mas sinal de " clarividência política ", como a " intimidação e a arrogância " de que os " camaradas " se armaram em legítimos herdeiros: mais de sete décadas de de " ditadura do proletariado " algo deviam legar para os órfãos do marxismo.

Por isso, podem dormir tranquilos os 230 Paxás e o Ali-Socra, porque o Orçamento de Estado para 2010 vai passar realmente, até porque o povo já se consciencializou de que não passa de uma marioneta que deu os braços ao polvo para que ele aumentasse os seus tentáculos gangrenosos.



LMP - Luxemburgo, 19-10-2009

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Premonição da Ditadura: ( 1º de Abril 1999 )

13 DE JUNHO :
O DIA EM QUE ESTE ENGANO DO 1º DE ABRIL (*) ESCOLHEU PARA SER REALIDADE?


DITADURA COR-DE-ROSA : antes, depois, mas…
E AGORA?


Quando era criança, e ouvia dizer que os rapazes iam para a guerra, sonhei, e comecei a contar a toda a gente, que, quando fosse grande, não iria combater, porque Portugal já não andaria na guerra. Nessa altura, para mim, pequenino, o que os adultos diziam é que era verdade, verdadeira e sagrada: os maus eram os turras, esses bandidos que queriam roubar as nossas colónias de Além-mar e massacrar os nossos vizinhos que tinham vendido as suas leiras cá na aldeia por uns contos de réis para irem comprar meio mundo por dois tostões lá nas Áfricas.
Mais tarde, graças à herança do meu avô materno, herói da I Guerra Mundial, lá consegui, dizendo que queria ser padre, ir estudar para o seminário de Vila Real, onde, descobri que as coisas nem sempre são como parecem ou nos dizem: Deus não era assim tão mau nem os padres assim tão bons. Mais, até descobri que, afinal, no meio da escuridão também há luz. Passados anos, sempre a ser o menino bem comportado que os padres queriam que fosse, bati-lhes com a porta na cara e, de repente, os espertalhões aperceberam-se que há muito que sofriam de miopia. Isto aconteceu num dia de Inverno de 1973, quando desisti e acabei de vez aquela partida de xadrez que travava com a sagrada tirania. Na época perguntaram-me porquê e eu, apesar de todo o bem que pensava e da gratidão que devia aos meus últimos pedagogos, os Salesianos, respondi que não sabia. O que eles não sabiam é que a minha consciência me sussurrava ao coração e me dizia que eu devia sair de lá e, obediente, saí mesmo, contra tudo e contra todos.
― Coitado! O Luís ou está maluco ou é presunçoso de mais, porque então agora, que só faltava meio ano para ser Doutor ( para ir para a Universidade ) é que se pirou do seminário? ― perguntavam uns.
― Assim nunca mais faz o 7º ano e consegue a aptidão para ir para Coimbra! ― exclamavam outros.
― Oh! E eu que pensava que ele ia ser o primeiro bispo da nossa terra, porque reitor e da família já temos! ― lastimavam-se as beatas uma a uma…”
Mas estava escrito que o meu destino não era ser doutor de maneira nenhuma. A minha mãe, essa, que sempre acreditou em mim, não tinha medo que eu reprovasse, só tinha medo que o dinheiro que o meu pai ganhava arduamente e nos mandava todos os meses, primeiro da França e depois do Luxemburgo, em cheques cor-de-rosa, não chegasse para tudo.


Ah! Ao que parece essa moda dos cheques cor-de-rosa voltou e pegou! Ainda não ouviram falar deles? O carteiro ainda não lhes meteu nenhum na caixa? E aos vossos amigos? Não sabem de ninguém que já tenha sido contemplado? Ah! Não?! Sim? Ou não? Pois, se calhar vós não sabeis inglês ou nem quereis passar por boys, ou por rosinhas, para ter um job! E nem tampouco essa distribuição chega até aqui, terras de emigração, porque nós somos muitos, mas contamos por pouco e qualquer dia seremos menos que nada. Estarei eu a sonhar? Realmente, isto de ser sonhador é uma praga! Imaginem como andará o meu sótão que um macaquinho lhe deu para saltar hoje para a rua e se pôs a dizer que a verdade anda nua e está falseada. Ah! Pois, já me esquecia que estou a ler os jornais do dia 14 de Junho, porque ontem houve eleições. Isto só pode ser mesmo uma brincadeira de muito mau gosto ou dia 1 de Abril. Se for, (e por acaso até é / era ) até não liguem a esta asneira porque eu já estou pirado da mioleira ou tenho muito mau gosto para responder a esta brincadeira.

Pois, mas, por falar em cor-de-rosa, sabem como nasceu a cor-de-rosa? A cor-de-rosa nasceu da mistura do vermelho-sangue com o branco-ateu. O vermelho também já teve as suas ditaduras e as suas purificações. Dizem que só a grande União soube, com ética, purificar mais de 85.000.000 — 85 milhões! — de almas e nas calmas. Quanto à do Ateu ( Americano ) , há muito que vestiu a pele da Democracia para fazer a vida negra a muita gente e ir alargando os desertos deste mundo para melhor roubar o petróleo, quando não é para reciclar os arsenais militares da guerra fria! Pois, o gelo era tanto que o rastilho nunca pegou!

Da Ditadura Vermelha, Portugal bem se livrou, mas parece-me que da Cor-de-rosa nem um Santo Durão, que é um diabinho convertido por um cavaco, lhe valerá. É que o maestro desta maioria sabe mais que a Lúcia, como diz o nosso povo. Pois, o nosso povo até diz tudo, mas na hora de votar não faz nada: fica em casa a dormir para não ter que meter as mãos na consciência e errar ao riscar a cruz certa no lugar errado. Até parece que os Fundos dão para comprar tudo e todos! Mas que injustiça! Enquanto que para o(a)s Rosas há dinheiro a dar com um pau e não custa nada tê-lo, para os outros é um pau vê-lo! Até parece que o de uns é fêmea e o dos outros macho!

Estará o povo errado, comprado ou drogado? É que, depois de ter sido um lobinho do contra tudo e a favor do aborto, o engenheiro, que até é bem engenhocas, teve uma visão messiânica e virou-se contra o aborto para ter ser favor de tudo o que conta…, para chegar à tal conta em que ninguém mais conta, seduzindo os amarelos celestiais para criar laranjas artificiais e assim baralhar as demais. À força de trocar uma vez, o homem troca um cento e assim se ganha a mania de trocar até as voltas aos que trocam mais depressa de coração do que de camisa e, sobretudo, aos troca-tintas que não nada trocam às claras, mas às escuras, porque a essas trocas ao negro se chamam maroscas, que se dizem irmãs das outras trocas e primas das baldrocas, que são trocas que gostam de se baldar na hora de prestar contas.

Ainda se recordam? Foi assim que o Salazar principiou. À força de lhe dizerem que ele é que sabia, o professor, que até sabia realmente umas coisas, armou-se em bom samaritano e começou a distribuir sabedoria por toda a gente ( porque o dinheiro do povo era preciso guardá-lo trancado a sete chaves para salvar o império ) e o povinho achou que era melhor não puxar pela cabeça e gastar inteligência que lhe restava, que era dura e saloia, deixando o António gastar a dele, que era bem mais douta e, além de capaz, ele até era solteiro e parecia bom rapaz. Ah! Agora temos um que é bom rapaz, mas só parece que é capaz.

“ Não te canses mais povo meu, porque quem sabe de Portugal e do mundo sou eu! Cuida lá do teu pé de meia, que qualquer dia até te tiro a meia ao pé! ” A meia? Até a consciência lhe tirou e para que o povinho não tivesse remorsos e se revoltasse, mas passasse a vida inteira a dizer Amem a tudo ou então ficasse calado ou fosse ao Futebol ou ver cantar o Fado. Mas como que tinha que arranjar uma distracção para toda a gente, vejam lá que o génio comprou a televisão para levar os velhotes a Fátima sem saírem da sua região, para não gastarem as meias do pé com tanta devoção e o pés de meia que tanta falta faziam à Nação.

E ainda há quem diga que foi o americano Bill Gates quem inventou a realidade virtual! Coitados, esses ou não são netos dos avozinhos ou têm pouca fé no génio português que, depois de sonhar com o fim mundo e lá chegar o deu à Humanidade para ele nunca mais acabar, e depois de inventar uma Passarola e a ter dado aos Franceses (o que fez Napoleão pensar que a verdadeira Lâmpada de Aladino se encontrava em Portugal e mandar por aí abaixo o Junot atrás dela ) o nosso país também teve o azar de criar um António genial, que com três ÉFES apenas, inventou um país virtual. E dizer que o solteiro chegou a ser o pai da Nação! Uma aberração, mas enfim! Ui! Como é que ele se chamava? António?! Ó carago! Qualquer hora estamos no Santo António, que calha num dia 13 de eleição!

Realmente isto de inventar um padroeiro para tudo é mesmo porreiro! Vejam lá que os Portugueses são tão inteligentes que até se lembraram de inventar um Santo para a Sorte no dia do Azar! Pois, já sei, sou eu que estou a ler os jornais do 14 de Junho! Ai agora é duro?! Anteontem, 12, o povo ficou a foliar pela noite fora e ontem, 13, esqueceu-se de que só tinha que ir votar.

É que a praga dos milhões, para tudo e a fundo perdido, habituou-os a não fazerem nada para terem o futuro garantido. Depois, quando estivermos todos enganados, não digam que ninguém vos avisou a tempo. “ Mas não! Não te aflijas povo meu, que de ti quem cuida sou eu! Então algum dia, se não viesse por bem, Deus permitiria que uma Ditadura COR-DE-ROSA chegasse ao domingo, que é dia Santo, e para mais no dia de um Santo que acode a tudo quanto é desgraça? ” Então que acuda a mais esta que não presta! Não presta? Perdão, excepto para os boys que estão a falsear a igualdade e a desfalcar Portugal! Nunca pensei que existisse uma diferença tão abismal entre o ter (um Job ) e o ser ( um Jó(b) !

“ Ei! Acorda, homem, porque isto são coincidências a mais. O outro tiveste o AZAR de o herdar, vê lá não ERRES desta vez ao votar, porque senão ressuscitas o fantasma do S… na pessoa do G…, e ficamos tramados! Ou talvez não, pelo menos enquanto a União Europeia não nos tirar a mama. Oh! E cá volto eu! Mas que ideia!? Agora deu-me para trocar a realidade por um sonho… purgatório! Bom, por hoje já nem faço mais trocadilhos para não ficar mais baralhado. Oxalá Portugal não caia na cantiga virtual e depois fique por aí a dizer que está muito mal.

Antes de terminar este pesadelo, ( credo! que o diabo seja cego e surdo para que ele nunca mais se repita, senão ainda caio em desdita, ) quero que se lembre que não há rosas verdadeiras sem espinhos e que, à força de tanto misturar as cores e as notas, o pintor, que dá música a toda a gente e é engenheiro, ainda vai acabar por borrar a pauta toda e deixar a sinfonia a meio, como eu deixei este artigo. É que o homem, quanto mais se capacita que é capaz de tudo, de nada é capaz e disso menos se capacita. E agora? Agora, esperemos pelo antes, e depois veremos se esta ficção ― ( escrita para o 1º de Abril de 1999 ) , mas que alguém não quis publicar para não brincar com coisas sérias ) ― verá o dia no 13 de Junho para já não serem lérias, mas realmente o pesadelo que eu nunca quis que fosse! (1)

Oxalá Outubro não veja a Democracia parir uma Ditadura Cor-de-Rosa ou institucionalizar a República dos(as) Bananas!

LMP — Luxemburgo, 1 de Abril de 1999.

(1) Realmente parece que sou bruxo: não é que, 2 anos e meio depois, o engenheiro largou mesmo os camaradas no barco e o país no pântano, demitindo-se, contra a vontade dos " boys " que mais o tinham idolatrado, provocando eleições legislativas antecipadas? " o engenheiro ainda vai acabar por borrar a pauta toda e deixar a sinfonia a meio " - acertei mesmo na " mouche ".

Ps: Este artigo não chegou a ser publicado no jornal, por falta de coragem do seu director, provavelmente admirador do engenheiro Guterres, que de tão santo e tão parecido com o Salazar, me inspirou uma personagem messiância " El Más Grande Comandante, Gutazar I, Rei da Lusilândia, do Algarve, dos Açores e d’Aquém Mar em Terra e d’Além Deserto Lunar ", para onde costumava viajar quando a oposição ousava contradizer a sua Sapientíssima e Omnipotentíssima verdade...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Portugal mesquinho e macambúzio!

Longe do país há quase 35 anos, é com profunda tristeza que o vejo afundar-se cada vez mais no cínismo de uma demagogia idolatrizada.

O povo e os políticos portugueses preferem viver num país virtual e reagir às catástrofes, a prevenir e agir, usando todos os trunfos de que dispõem para vencer os desafios da globalidade e assegurarem o futuro das gerações vindouras, legando-lhes orgulhosamente um país limpo e próspero. Portugal é um país acovardado e desonrado, que prefere viver como um nobre arruinado, porque ele já se consciencializou de é que um suicidário em potência.

Quando se perde o bom-senso e a vergonha, que norteiam a consciência individual e colectiva, todos os abusos nos parecem naturalmente permitidos: são os virus da imoralidade, da decadência e da dependência que se colocam em marcha e começam a minar e a envenenar a auto-estima, o amor-próprio e o temor a Deus ( para quem acredita Nele ). Entrando nessa engrenagem degenerativa é a animalidade primária que começa a vir ao de cima e a tomar conta do livre-arbítrio e da consciência humana.

Portugal engendrou o seu próprio Adamastor no dia em que perdeu a capacidade de sonhar e, sentindo o peso do seu passado glorioso, começou a duvidar da sua genialidade e a ter medo do Futuro.

Ao tornar-se um país medroso, Portugal ficou piroso, triste, deprimido, mesquinho, egoísta e macambúzio, e, como todo o mundo sabe, a Felicidade e o Sucesso fogem dos portadores de tais sentimentos tenebrosos, como o diabo da cruz e da água benta, porque a Felicidade é audácia, coragem, coerência, constância, honestidade, trabalho, solidariedade, Luz e alegria de viver.

Quando escreveu que " o sonho comanda a vida ", o poeta António Gedeão estava a lançar um grito de alerta, mas, infelizmente ninguém soube descodificar tal mensagem e dar-lhe a importância que ela tinha.

Hoje, sou eu que aqui escrevo com todas as letras: ou Portugal se liberta dos medos e dos fantamas do passado e vive intensamente o Presente - fazendo realmente o que deve e se exige dele - ou os ideiais tenebrosos tomam conta dele, plantando o inferno nesse cantinho de paraíso.

Mais, quem não tiver Frontalidade e Coragem, não será digno da Felicidade !

Para entenderem melhor muitas das minhas crónicas e dos " gritos " de revolta que solto sempre que vejo a injustiça e a hipocrisia estampada nos olhos dos demagogos a quem gerações sucessivas de portugueses vêm, imconsciente e irresponsavelmente, passando cheques em branco aos políticos corruptos e mafiosos que saqueiam impunemente o erário público.

A mim nunca me enganaram ou corromperam eles!
Em 1975 eu já sabia no que a revolução daria e que não aceitaria viver num país assim, tão diferente de mim.
Por isso, larguei tudo o que me prometiam e parti, obedecendo à minha consciência e ao meu coração.

E sei que sempre tive razão!


LMP - Luxemburgpo, 15-10-2009


A minha autobiografia ( * )

Em 1976, cansado de esperar pela abertura da faculdade, que os marxistas haviam trancado a sete chaves dois anos antes, decidi vir ver como o meu pai, emigrante desde 1969, ganhava os francos com que me pagava os estudos, na Escola Salesiana do Estoril.

Vim por curiosidade, mas acabei por ficar. E já lá vão 25 anos!

Numa geração realizei muitos sonhos impossíveis, mas conheci também a dor amarga da Saudade e, de adiamento em conformismo, vi o meu sonho de criança esvair-se nas brumas da ilusão, antes de cair irremediavelmente nas masmorras da virtualidade.

Jurista nunca cheguei a ser, mas muito me honram as inúmeras causas que advoguei, sobretudo as que perdi para defender a minha íntima convicção, neste meu itinerário pelo Grão Ducado do Luxemburgo.

Aqui, fui, realmente, estudante, operário, fotógrafo, locutor de rádio, professor ou agente imobiliário, e, muito naturalmente, escritor..., porque isso comecei a sê-lo nos bancos da escola da minha terra natal, Fiolhoso, uma aldeia do concelho de Murça, onde nasci há 46 anos.

Este romance dedico-o aos meus filhos e à minha esposa, a musa que muito me inspira, ao Carlos Filipe, meu Nobel amigo de Timor Lorosae, e a todas as pessoas que, pelo mundo, fazem rimar quotidianamente a Felicidade com a Solidariedade e a Fraternidade.

LMP - Luís Macedo M.Pereira - LUXEMBURGO - Lud MacMartinson
(*) Escrita em Março de 2001 para a apresentação do meu romance La Force du destin - A Força do destino - no Salão do Livro do Festival das Comunidades 18-21/03/2001

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Pedro Passos Coelho - PPC : Portugal Precisa de Coragem !

Há 35 anos atrás, com 20 incompletos, exerci a minha Liberdade, fui responsável e defendi, mesmo sabendo que corria risco de vida, os ideais que iluminavam e exaltavam a alma irreverente que Deus me deu. Vivia no Estoril, bem pertinho de Lisboa, quando, em 25 de Abril de 1974, nos canos das espingardas dos soldados floriram os cravos da Liberdade. Nessa hora, o sangue ferveu-me nas veias e só não fui até ao Quartel do Carmo, sede da GNR e onde se jogava a sorte da revolução, porque os combóios da linha do Estoril eram estancados em Oeiras!

Como cidadão, tenho cumprido e exercido os meus direitos e os meus deveres cívicos.
Artigos de opinião, muitas vezes virulentos e algo ingénuos ou porventura facciosos, segundo o prisma de quem de mim discorda, provam que não pactuo com " corruptos " de qualquer espécie e o mundo político, como infelizmente a sociedade, está cheio deles.

Como muitos jovens, também um dia quis mudar Porugal e o mundo, mas porque a vida nunca espera e eu tive que lutar pela minha, vim engrossar as fileiras da diáspora, construindo a minha felicidade e realizando muitos dos meus sonhos longe da pátria que um dia defendi e servi, sobretudo no Verão quente de 1975, em que pouco faltou para Portugal ficar a fogo e sangue.


Hoje mesmo, por coincidência ou não, em Larochette, a cidade mais portuguesa do Luxemburgo, entre dois encontros profissionais, aproveitei para ir beber um chá e saudar alguns " amigos ". Foi então que,comentando os resultados eleitorais, falei com o " professor " - apelido dado ao senhor António Silva, um transmontano retornado e nostálgico de Moçambique, onde, segundo o próprio, ele passara os quinze mais maravilhosos anos da sua vida - e afirmei que o Pedro Passos Coelho seria o futuro líder do PSD.

O " professor " - um mestra de sueca - não concordou comigo, arguindo que o nosso conterrâneo não tinha a experiência para exercer tais responsabilidades, preferindo-lhe o professor Marcelo Rebelo de Sousa, ex-lider do PSD e comentador político. Eu sorri e disse-lhe que o PSD deveria regenerar-se com sangue novo e vetar quem tivesse mais de 50 anos e ter a coragem de " eleger " um líder novo para para um prazo longo, 20 anos pelo menos, e sobretudo um Homem que não tivesse o seu nome associado a nada de negativo e sombrio ou estivesse comprometido com o passado!
Basta de ícones, de barões, de caciques, de " opinadores da treta " e de políticos usados, cansados, resignados e acomodados. Portugal e o PSD precisam de Homens corajosos, mas " limpos e transparentes " , que não tenham medo dos desafios e sejam " intrinsecamente altruistas " , verdadeiros " defensores e servidores " da pátria.

Por isso, quando, às 20 horas portuguesas, " zapando " os canais da TV Cabo, vi que a TVI entrevistaria Pedro Passos Coelho, sorri, porque, finalmente, iria ter a oportunidade de analisar a personalidade, a argúcia, a perspicácia, o carácter e a elasticidade-agilidade mental do - como creio - futuro PM de Portugal
, se a linha da vida dele não for curta.

Em 15 minutos de entrevista, descobri - e não tenho medo de o escrever - um Homem !, um dos muitos de que Portugal precisa para alterar o seu rumo, inverter a sua " démarche " suicidária e fugir do abismo, fatalmente, que está a cavar com tantos desmandos despesistas do partido clientelista e socialo-facista que se tornou o PS de Sócrates.

Pedro Passos Coelho é animado por uma " alma " amadurecida pelos ideiais da sua juventude; Pedro Passos Coelho provou que não tem estado inactivo e possui maior visão, conhecimentos e experiência que muitos ministros, porque ele sabe ler, auscultar e diagnosticar Portugal; Pedro Passos Coelho tem a coragem e a clarividência das suas convicções; Pedro Passos Coelho demonstrou um sentido de Estado e de Responsabilidade e uma maturidade invulgares; Pedro Passos Coelho tem um " pedigree " político e Humano inatos; Pedro Passos Coelho expôs a sua alma e a sua consciência sem " medo " de qualquer espécie: foi " ele prório " em todas as circunstâncias, aprovando ou rejeitando, sugerindo e opinando sempre com o Humanismo e a " Aura " de quem sabe ser portador da Força da Razão e da Esperança que o animam desde que decidiu pôr-se ao serviço de Portugal como - atrevo-me a dizê-lo aqui - o seu ídolo: Francisco Sá Carneiro, o Homem por quem chorei quase à mesma hora, na mesma cidade de Larochette, no dia 4 de Dezembro de 1980.

Para o meu amigo " professor " de sueca e para todos os " professores " ou " opinadores " profissionais de Portugal que porventura possam temer pela falta de experiência do Pedro Passos Coelho, digo apenas isto:
se o Manchester United estivesse à espera da " experiência " do Cristiano Ronaldo para o lançar na primeira equipa e afrontar os rudes defesas do campeonato inglês, tenho a certeza que o clube não teria ganho tantos títulos, dado tantas alegrias aos adeptos e seguramente que nem o " miúdo " teria sido, aos 24 anos, o Melhor do Mundo.

O PSD e, sobretudo, Portugal não podem manter o Dr. Pedro Passos Coelho na reservas, impedido de treinar e excluido por uma treinadora senil e vingativa - porque Portugal precisa do Carisma e da Coragem que Pedro Passos Coelho tem para oferecer a Portugal.

Pedro, tu sabes que és Craque e que chegou a hora de o provares humildemente, mas com a convicção e a coragem que sempre te animaram ! Não tenhas medo, porque só o medo impede o sonho de se realizar.

Força, os portugueses querem ver-te jogar e dar os teus primeiros passos! Não esqueças que enquanto não provares nada, serás muito criticado e crucificado virtualmente pelos teus inimigos, mas esse será o " dopping " da tua perseverança, porque desses fracos e maldizentes nunca rezará a História.

Agora que eles, como eu, te " descobriram ", segue em frente e cumpre o teu destino: servir Portugal.

Bem-aventurados os que sabem e fazem sonhar e tudo ousam para se Realizar, servindo e ajudando os seus semelhantes a serem dígnos do solo pátrio que pisam!

Que Deus te proteja e Coragem nunca te falte, Pedro Passos Coelho !
Viva Portugal !


LMP - Luxemburgo, 13-10-2009 às 23H
Pedro Passos Coelho: biografia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Passos_Coelho ( por acaso, PPC é formado na área económica, condição sina qua non - segundo a minha modesta opinião - para ser ser um Primeiro Ministro realista e não um " PROMESSAS ou fantoche virtual " qualquer, como aqueles que sucederam ao Professor Anibal Cavaco Silva, o melhor PM da democracia portuguesa.

NB: Dia 16 de Outubro de 2009, enviei o link deste artigo de opinião ao PDS, através do seu site oficial ( http://www.psd.pt/index.php?action=1&msg=3&idc=308 )e ao PSD de Vila Real, do meu trás-os-montes natal, onde vivi e regularmente vou para respirar o ar do Marão.

08-11-2009 Sondagem: Marcelo vence Passos Coelho
http://diario.iol.pt/politica/psd--marcelo-passos-coelho-politica-lideranca-tvi24/1101619-4072.html

A bomba atómica portuguesa !

>
A BOMBA ATÓMICA PORTUGUESA: a dívida !

Bom, a coisa está preta por todo o lado, mas em Portugal mais um bocado, por culpa de todos. Fora do país há mais de uma geração, sempre vi nos portugueses um povo com tiques de imperialistas e cheio de " manias ", que nunca sabem olhar os outros olhos os olhos, mas de alto ou debaixo, segundo a necessidade.

Infelizmente, ao longo da vida fui confrontado com tais " boçalidades " e tive, muitas vezes, que sair do sério e gritar: mas que raça mais F_D_P , para espanto de alguns invertebrados para quem a injustiça tanto faz.

Portugal orgulha-se de possuir o húmus ideal para cultivar o chico-espertismo!
Raros são os portugueses que respeitam os direitos dos outros e que não querem " levar vantagem " quando confrontados com situações em que o civísmo é posto à prova.

Casos nem perco tempo a enumerá-los.

Agora, que meio ano e muitos milhões foram desperdiçdos com campanhas eleitoralistas e propagandas partidárias - quando a crise exigia contenção e coragem, sobretudo por parte de quem manda - é chegada a hora de recuperar o tempo e o dinheiro perdidos, lançando mãos à obra.

Portugal precisa de trabalhar mais e de gastar menos, sob pena de fazer detonar a bomba atómica que tem debaixo do pretérito e reduzir a cinzas o futuro.

Bomba atómica?!
Mas que bomba atómica, você tá doido ou delira ?! - perguntarão pasmados.

A dívida pública portuguesa é uma bomba atómica com deflagração programada. Os eminentes economistas do reino poderão confirmá-lo, se forem íntegros e apartidários. Os facciosistas e chupistas dirão que são investimentos necessários.

Realmente as mentes brilhantes da lusitânia são genuinas até na forma de se suicidarem, porque criar uma bomba atómica para consumo próprio é algo " por humanos nunca dantes engendrado ".

Pronto, por hoje basta de " reflexões ".

Toca a trabalhar, malandros !
Tenham vergonha, bandidos !

Agora, portugueses, ou abrem o olhos, se enchem de coragem e denunciem os " corruptos " ou morrerão miseravelmente !

Mas será que merece morte dígna quem levou vida de cão e pactuou com o saque da nação?

Eu penso que não !!!


LMP - Luxemburgo, 13-10-2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Até onde e até quando?

Hoje, depois de mais uma noite de cinísmo eleitoral, apetece-me perguntar:

Até onde vão chegar os tentáculos do polvo " xuxalista " e até quando vão os " patriotas " e homens de bem assistir ao saque e esquartejamento da nação?
Até onde irá a demagogia e a vanitosa irresponsabilidade socialista e até quando o país suportará os rombos nas finanças púlicas, dados por estes " iluminados " com mania de grandeza que se armam em mecenas dos " parasitas e sanguessugas " a quem oferecem o fruto do trabalho árduo de gerações de contribuintes?

Até onde irá a cegueira e a teimosia dos dirigentes do(s) partido5s) que se deveria(m) opôr às práticas mafiosos de tão prepotentes e a até quando se gladiarão os " caciques " pepedistas? Para mim, tão ladrão é que vai à horta ( do Poder ) como o que fica à porta a ver e fingir que não vê os " assaltantes ", a menos que sejam todos comparsas e comam todos do meu tacho, ou se preferirem, possuam alguma caverna secreta onde se reúnem para partilhar tais roubos.

Até onde e até quando, povo miserável e invertebrado vais tu querer viver de ilusões ou de subsídios?
Até onde e até quando, jornalistas e " opinion makers " levereis vós a vossa conivente e cínica complacência com os poderes e os interesses instalados na máquina e estatal e na sociedade?

Ai Liberdade, Liberdade, que tão más companhias escolheste! Porventura saberás tu com quem andas! Oxalá na te venhas a arrender um dia desses " amigos da onça " com quem privas e te pavoneias.

E tu, Democracia, até quando vais tu amamentar os Brutus e Corruptus deste país sem rei nem roque?


Quo vadis, patria mea?


LMP - Luxemurgo, 12-10-2009

domingo, 11 de outubro de 2009

A Ditadura das toupeiras !

Hoje, numa aldeia do norte do país, um boçal,(1) temendo uma derrota eleitoral, assassinou alguém que se meteu à frente da sua ambição. Este " homicídio " é um grito de alerta, um sinal de alarme da " ditadura latente " em que o nosso país vive mergulhado há anos.

Há mais de um década que, armando-se em arautos do " socialismo democrático " (ir)responsáveis do partido da rosa, vêm soltando os tiques dictatoriais que dissimula na alma.

Quando alguém ousa dizer " quem se mete connosco, come " ; quando deputados pedófilos, só porque dispõem de bons advogados e de lacaios nos meandros da justiça, podem cometer crimes perfeitos; quando chefes de governo, conscientes da impunidade de que gozam, abusando do Poder que pavoneiam, ousam pedir publicamente " a cabeça " de jornalistas, só porque estes não têm medo de denunciar " criminosos e corruptos " e aceitar a " farsa " de justiça que temos; quando capangas partidários, quiçá a mando de um sinistro propagandista, não só tentam desviar as atençoes de tais baixarias como, sobretudo, envolver o mais alto magistrado da nação, a quem não cessam de desafiar, e isto durante anos sem que ninguém os responsabiliza por tais actos ou omissões mafiosas, qualquer " pau-mandado " e mentecapto fanático - menos douto, astuto e desconhecedor das surrealistas técnicas do crime-perfeito - pode julgar-se no mesmo direito de imitar tais chefes e armar-se em cacique do burgo onde quer ser rei e senhor, para glória do chefe da confraria...

Em Portugal cultiva-se " orgulhosamente " à ditadura das " toupeiras " !

A verdadeira Democracia e os homens de coragem não podem tolerar e silenciar por mais tempo tais " boçais ", sob pena de, num ataque de folia, qualquer injustiçado desta maioria, se armar em justiceiro e mandar pro inferno algum inocente.

Ou os juizes deste país aplicam a lei e metem na prisão os sanguessugas e pseudo arautos desta Liberdade podre, ou serão julgados pela História e " empalados " ou apredrejados pelo povo, quando um émulo de Bin-Laden nascer em Portugal.


LMP - Luxemburgo, 11-10-2009
(1) Notícia e reacções em: http://www.correiodamanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021&contentid=A4938AAC-975A-4744-84BA-CAC081307631
http://aeiou.expresso.pt/ele-nunca-se-conformou-em-ter-perdido-a-junta-acusa-genro-da-vitima=f540702

sábado, 10 de outubro de 2009

Abstênção: o cancro da Democracia !



DEMO
CRACIA:

INFECTADA
DE MORTE
PELA ABSTENÇÃO



A combater por ela se perderam milhões de vidas e se derramaram rios de sangue, é verdade, mas valeu a pena, porque ela revolucionou o mundo. Mais, sem ela, o Homem nunca teria conhecido a verdadeira face da Liberdade e da Igualdade.
Ah! Democracia! A nossa floriu em Abril nos canos das espingardas dos soldados do povo.

Até há bem pouco tempo, antes de o comodismo e o consumismo narcotizar as nossas consciências egoístas, a abstenção era considerada como uma das grandes virtudes da Democracia, mas, como a água, que é vida, se pode transformar num veneno, quando estagnada e pútrida, também a abstenção se perverteu e metamorfoseou num venenoso e contagioso vírus que está a inocular nos genes da Democracia a ADN da Ditadura. Mais, hoje, posso dizê-lo frontalmente e sem demagogia, a abstenção é o cancro da Democracia.

Cancro?! Credo, que doença terrível! Libre Domine! Cruzes!!!

Pois é, sempre que nós nos abstemos; sempre que fugimos às nossas responsabilidades; sempre que não cumprimos o nosso dever cívico e não vamos votar, nós estamos a contaminar, a matar, a assassinar a Democracia.

Se faz da abstenção uma prática permanente e ela o deixa indiferente, cuide-se porque está doente, gravemente doente. Quem sabe, talvez em fase terminal...

Sinceramente, quem não se sente não é filho de boa gente, e há pessoas que não merecem ser gente, nem, muito menos, merecem a Liberdade da Democracia. Esses, deviam viver num Gulag qualquer e sofrer quotidianamente o peso dilacerante do chicote da opressão, porque quem não vota há muito tempo já traz a ditadura no coração. Esta é a verdade nua e crua, mas a escolha ainda é sua.
O resto é conversa, porque…

A ABSTENÇÃO É O CANCRO DA DEMOCRACIA!

Eu, cá por mim, há muito que escolhi a VIDA!…


LMP — Luxemburgo, 1999

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

NOBEL OBAMA: A Esperança do Mundo !
















Como o próprio laureado humildemente reconheceu, esta prestigiada e honoríca distinção pode surpreender meio mundo e deixar revoltada a outra metade. Contudo, não é a primeira vez que a decisão do Comité Nobel causa espanto e polémica. Aliás, o próprio Cristo e outros profetas, no tempo deles, não vieram trazer a humanimidade, porque quase sempre isso é sinal de cinísmo e de paz podre.

O caminho e a história de vida do Presidente Barack Obama falam por si. Um homem negro, que, criança ainda enfrentou as adversidades da vida e a separação dos pais; que descobriu a força do amor maternal e da solidariedade familiar; que conviveu com a diferênça o racismo e que teve a " ousadia " de provocar o próprio destino, provando que quando um Homem sonha e quer, até o cosmos conspira a favor do seu ideal.

Hoje, o Nobel Obama é a Esperança de um mundo melhor, mais justo e mais tolerante, por isso temo que aqueles que se lambuzam no sangue do ódio racial, religioso e civilizacional não estejam já a " urdir " os mais hediondos e nefastos planos para que a Luz se apague e o mundo fique às escuras porque é nas trevas que tais vampiros da dignidade humana se movem.

Oxalá que Deus não durma e ajude o jovem e audaz Presidente Obama a resistir à corrosão e ao tráfico de influências dos poderes obscuros do seu país e do mundo e, sobretudo, o proteja de quem quer assassinar a Esperança!

Sinais dos tempos ou talvez não, como o primeiro ser humano, também este homem tem as suas raízes na África, o continente explorado, esquecido e marginalizado pelas superpotências mundiais, a maior das quais é agora dirigida pelo Homem de quem se fala.

Parabéns e Deus o guarde, Sr Obama ! - Congratulations and God save you, mister Obama!


LMP - Luxemburgo, 09-10-2009 * 20H29!

Ditadura & Democracia: a ilusão da Liberdade - ( 1999 )

Ditadura & Democracia:
A ILUSÃO DA LIBERDADE!


Antes de 25 de Abril de 1974, Portugal estava orgulhosamente só, apregoavam os iluminados fascistas.
Mas que País era o nosso? O dos ditadores que abusavam da prepotência para roubar a Liberdade a quem, nada possuindo, só desprezo lhes dava, condenando-os a parecer Alguém à custa da liberdade usurpada ao Zé Ninguém? ; ou o do povo objecto, que, condenado a viver o Inferno nesta vida, acreditava, por convicção ou ilusão, que mais Além, na amargura do seu coração, morava Alguém para quem seriam os Predilectos da paradisíaca Eternidade?

Os primeiros tinham a ilusão da Liberdade que não possuíam, os últimos possuíam a Ilusão da Liberdade que não tinham!

Ah Liberdade! Mas para que serve a Liberdade? Para escravizar a Democracia ou para libertar a Ditadura? Sim?! Não?! Será o contrário? Para escravizar a Ditadura ou libertar a Democracia? Mas sim ou não?! Eh! Em que ficas? Por acaso já algum dia pensaste na Liberdade?

No fim de tudo, estamos condenados a saber que nada somos, nem seremos, se nada fizermos para defender intransigentemente a dignidade humana no mundo que temos, conhecemos e em que vivemos. Só assim somos e seremos dignos da verdadeira Liberdade, a que se conquista, na maior parte das vezes perdendo-a, no presente que não existe, para a ganhar no Futuro que persiste perenemente, porque a verdadeira Liberdade rimará, no fim, com Eternidade, se começar pela fraternidade e pela solidariedade!

Ai humanidade, humanidade! Quem te contaminou que só te vejo cometer barbaridades! ( De que direito? Em nome de quem? Dos homens ou de Deus? Mas qual deus! O primeiro, o Verdadeiro, sem nome nem rosto, mas em quem acreditavas e a quem tudo davas sem nada pedir em retorno? ou o último, o Dinheiro, por quem tudo fazes e a quem tudo sacrificas para no fim tudo perderes? )

Isto para vos dizer que se o povo sempre fez rimar Abril com águas mil para esconjurar a secura do Verão, eu, agora, choraria mágoas mil de Maio a Abril para voltar à ditadura e recuperar a ilusão perdida com a Liberdade: é que nós defendemo-nos melhor da frontalidade dos nossos inimigos leais, do que da perfídia dos que se dizem e fazem nossos amigos, mas que são desleais e nos apunhalam pelas costas!
Bom, até qualquer dia, se Deus quiser e eu não me tiver afogado nestas mágoas!
Hoje choro de tristeza pela alegria de Abril, mas é bom sinal para mim, porque, e parafraseando Descartes, choro, logo vivo!

E Portugal? Em que fica? Em que acredita? Chora? Ri? Chora de alegria pela tristeza que acabou em Abril ou ri de tristeza pela alegria que só começou com a revolução? Pense, se quer viver, mas não fique toda a vida a pensar porque a pensar morre(u) … Medite nesta asneira e faça qualquer coisa para merecer um dia a Liberdade da Eternidade !

Vá! Sorria, porque as Liberdades de Abril também rimam com Felicidades mil, mas nunca à perfeição, disso não tenha a mínima ilusão! Perdão, guarde bem essa ilusão só para si para que ninguém tenha a Liberdade de lha roubar e depois a sua alma, esvaziada do sonho, lhe cause tanto dó que lhe faça, como a mim, desejar a ditadura para ser livre, livre de lutar e de sofrer, mas de saber, na certeza porém, que jamais deixarei(á) a ilusão morrer no coração!

Ditadura ou Democracia, a Ilusão da Liberdade.

LMP - Luxemburgo, Abril de 1974

ABRIL: O 25 EM 100 PALAVRAS!
Ditadura & Democracia:A ILUSÃO DA LIBERDADE!
25 de Abril de 1974: que Portugal?

O dos ditadores que abusavam da prepotência para roubar a Liberdade do zé-ninguém, que só desprezo lhes dava e os condenava a esconder o rei na barriga? ; ou o do povo objecto, que, condenado ao Inferno nesta vida, acreditava, por convicção ou ilusão, que mais Além, entre a pele e ossos, no seu amargurado coração, morava esse Alguém predilecto que lhe trocaria a Liberdade perdida pela Eternidade prometida?
Os primeiros tinham a ilusão da liberdade que não possuíam, os últimos possuíam a ilusão da Liberdade que não tinham!

Quo Vadis, Democracia, a ma(ltra)tar assim a Liberdade ?


LMP - Luxemburgo, abril de 1999 ( 25º aniversário da Liberdade de 24 de Abril de 1974 )
PS: Abril 1974 : http://www.slideshare.net/crie_historia/a-revoluo-dos-cravos

Carta Aberta à Ex-Embaixadora Ana Gomes... ( 28-03-2003 )

Carta aberta à Senhora ex-Embaixadora Ana Gomes!
enviada por um
Lusitano exilado!

Ex.ma Senhora Embaixadora, Ana Gomes!

Ontem descobri-lhe outra faceta e estou muito decepcionado! Afinal nunca desconfiei que por detrás da embaixadora de respeito que sempre vi, se escondesse uma intriguista, uma arruaceira palaciana..., também ela já contaminada pelas intrigas imorais e nadando nas mesmas águas turvas e lamacentas, e sobretudo promíscuas e imorais, por onde navegam os timoneiros de um partido à deriva em mares tenebrosos, afrontando os Adamastores da sua própria consciência. Enfin, para mim, a Excelentíssima Senhora Embaixadora, metamorfoseou-se no pior! A borboleta da PAZ, a embaixadora do DIREITO INTERNACIONAL, que tanto charme irradiou na defesa do povo mártir de Timor, virou actriz de filmes X, com um pseudo “mad fighting spirit “, para melhor esconder um “ar-de-cor “ serenamente urdido ao longo destes meses de treino no “ PS “, leia-se Personal Studios!, do Big-Brother de FERRO, um marxista mais falhado que o IDEAL, que uma grande confraria colocou à sua TESTA!

Sinceramente, há muitos anos que eu sei que esses políticos da treta, políticos incendiários, não prestam e não têm, realmente, qualquer utilidade pública, ou o menor interesse nacional! Quando muito, serviram um pouco para a animar a revolução de Abril , encorajar os camaradas mais efeminados e cheirar os cravos murchos, mas deveriam ter sido descartados ou enviados para Àfrica como voluntários da INTERNACIONAL COMUNISTA logo.em 1974, no século XX, já que, agora, no século XXI, só já sabem fazer asneiras, decepcionando a malta que não foi seleccionada para integrar o grande circo dos BOYS!

É que, um século pasado, e os tempos mudados, desses ultras da “ treta e da teta “ já está o povo farto. O que Portugal precisa é de HOMENS e não de “ boys “ mandados ou meninos quéques, porventura moinantes, drogados por uma lengalenga perni(o)ciosa e sustentados por uma arena política corrupta, que nos faz lembrar os últimos dias de ROMA, com NEROS incendiários e pedófilos a surgir como cogumelos mesmo nas arenas mais sagradas da PATRIA LUSITANA!

Afinal o PS impostor está a recolher o que semeou! Não foi a este mesmo PS, - que ousou fazer do Parlamento um BIG-BROTHER LIMIANO, onde a promiscuidade foi tanta que se consolidou e transformou em queijo fedorento, que o outro OLD-BIG-BROTHER se apressou a publicitar e a vender como sadio, - que a senhora aderiu? Maus ventos, fraca sina, camarada Ana Gomes!

Então a Senhora Emabixadora não sabia que os seus correlegionários estavam empaturrados de queijo e de seis anos de mentiras, mistificações e enganos? Já não se lembra ou faz de conta? Será que os seus amigos se envergonham disso, ou se tornaram latados refinados? Vergonha é coisa que eles nunca tiveram..., tal é a negridão que paira nas “ fuças desses palermas “ , parafraseando os vossos mentores.

Acorda povo lusitano, a corda!, que estes “boys”, que nasceram infectados com os vírus da pior espécie, - por pretenderem roubar-te a ALMA, viraram bandidos, talvez de colarinho branco, mas alma muito negra!

Quanto à sra Ana GOMES, que até aqui se manteve calada como uma rata, a disfarçar a aureolada virgindade oriental, afinal ontem vi cair-lhe o véu artificial, ou melhor a máscara!, e aí descobri que não tem pingo de vergonha, de pudor, de dignidade, e muito menos estofo para exercer funções de estado... Isso são mexericos nauseabundos e corriqueiros, minha senhora! LE POINT veio À POINT NOMÉ para a desmacarar! Se tivesse visão política, ou simplesmente juízo, não teria aderido a um partido de corruptos, e bandidos mafiosos que , tal alcateia que é, tantas foram as provas dadas, no presente e no passado, atacam em grupo, como os “ boys-band “, felizmente a passsar de moda! Basta recordar como ficou o PARLAMENTO depois intrusão dessa orda selvagem para proclamar e transformar em HERÓI um ARGUIDO – o mundo vai ao léu e de pantanas - ... que acabava de ser favorecido por HOMENS sem ou com um juízo muito apropriado! Connosco, portugueses, é assim, não há meio termo: somos o povo do oito e do oitenta, e tão depressa metemos o pescoço de alguém na forca, como lhe colocamos uma coroa na cabeça!

É lamentável que esses bandalhos, e parasitas demagogos, continuem a achincalhar a profissão, a nação, o partido e a servir-se dos lobbys e confrarias macónicas, porventura “ gangs mafiosas ou redes pedófilas para "lubibriar" o povinho e pressionar a justiça, agindo como se tivessem o rei na barriga, que sempre julgaram ter!

É óbvio que tais comportamentos mafiosos só são permitidos e estão efectiva e realmente a ter lugar, porque estão, seguramente, sob a alçada e protecção de alguns GRANDES CHEFÕES, quiçá um PADRINHO OMNIPOTENTE, ou (G)OLD-BROTHER imune e impune a tudo isto. Para bom entendedor!

Acabe-se de vez com toda esta palhaçada imoral, e oxalá a senhora ex-embaixatriz deixe cair um pouco mais o véu artificial bem depressa, para que o povo a possa “ pôr no lugar “ que merece: o olho da rua!

Uma derradeira sugestão, sra Ana Gomes! Dado que mudou de profissão, porque não adopta um nome artístico que lhe dê maior projecção e a consagre como a ESTRELA do GRANDE CIRCO SOCIALISTA? É que, como a senhora diz, ou está a pisar em terreno minado, ou quer se DEULADEU MARTINS deste PORTUGAL sitiado! Analisando bem o seu comportamento, realmente a sra está manifestamente com tendências depressivo-suicidárias! Valerá o “poleiro” a pena? Apreciará o seu “ mentor- timoneiro “ o seu sacrifício? Não seja ingénua! Nas máfias “ os afilhados “ com pretensões a “ capos “ são cartas, curingas, de jogar e deitar fora do baralho ou a sacrificar à menor contrariedade!

Concluindo, e não esquecendo o nome artistico! Artístico? Sim, porque quer a senhora queira, quer não, a embaixadora é uma verdadeira “ artista “ ! Que tal Ana Exposta, para consumo interno ou, simplesmente, HANNAH X para desempenho internacional?

Sem rancôr, mas com muita decepção! É que eu, como muitos portugueses, enganei-me redondamente a seu respeito, Senhora Embaixadora! Comigo, porém, o “erro” não é fatal, porque ainda vou a tempo de o remediar, nas próximas eleições, se a senhora se candidatar a qualquer tacho, por esse ou outro partido! No que ao FUTURO DE PORTUGAL diz respeito, já tenhos muitas dúvidas, se ele continuar a ser “achincahado” por certos pulhas que se refugiam na política e na imunidade parlamentar, para passaram incólumes!

Quanto aos actos, bons ou maus, ficam com quem os pratica, Senhora Embaixadora, mas os dos polítcos, apesar de muitas vezes impunes perante a lei, têm – em democracia - um JUSTICEIRO, o POVO!

Lusitano Mal-humorado!


LMP – Luxemburgo, 28-03-2003

NB* Depois desta missíva, a Embaixadora deixou de cargo e foi deputada europeia.
Agora é candidata a Presidente da Câmara de Sintra. ( 11-10-2009 - daqui a 2 dias )
Realmente, a senhora está cada vez mais desclassificada: assim não sei como vai terminar a carreira política!


PS: Nem todos esqueceram as " bacoradas " da Aninha lá pelas Ásias, como este...
24.09.2009 - 13h19 - Ostojo, FEC
... ainda recordo vivamente as atrocidades que brotaram da boquinha desta senhora, ao tempo na Indonesia, e que tanto prejudicaram Portugal e os portugueses. Ainda hoje, passados estes anos, aqui pela Asia, ainda se fala da senhora Ana Gomes - e nao sao coisas agradaveis. Foi "encafuada" em Bruxelas, mas mesmo assim continua com a algazarra e gritaria insane que que sempre a caracterizaram. Boa sorte.

Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1401277

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Portugal: Estado da Nação em 2001...

O estado da Nação: Portugal visto de dentro. Os Deputados discutem o estado da Nação na Assembleia da República. Em Junho.
Você pode discutir aqui. Agora.( Maio de 2001 ) O PROJECTO
Em Junho é debatido o Estado da Nação na Assembleia da República. Aos outros 10 milhões de portugueses apenas é dada a oportunidade de assistir.Pretendemos, com O Estado da Nação, antecipar e abrir esse debate a todos os cidadãos. O debate está aberto. Participe. É a sua vez.


O estado da Nação 2001

[1] Quais são, para si, os principais assuntos da sociedade portuguesa de hoje?

Hoje, neste início de milénio, a sociedade Portuguesa, azulejo do grande mosaico mundial, não é diferente das de mais! Os problemas são comuns, mesmo se em certos países os problemas estruturais revelam "nunaces" mais acentuadas que noutros, devido à componente histórica,social e cultural de cada um. Dito isto, vamos directamente ao cerne da questão.

No nosso, como na grande maioria dos países, assistimos a um desfazamento e atropelamento do tempo e, obviamente, à inversão dos valores que deviam realizar cada ser e fazer avançar colectivamente a humanidade, porque o equilíbrio entre a componente ESPIRITUAL e MATERIAL do HOMEM está ferido e infectado de morte.A sociedade mundial está à beira do abismo. O colapso está eminente, porque, perdida a esperança na vida e a na eternidade, a vingança e a sede de justiça, que cada ser humano tem vindo a alimentar dentro de si chegou ao limiar da resistência e a ruptura pode acontecer irracionalmente a qualquer instante. A demência atingiu o ponto de não retorno! A barbárie está à solta pelos quatro cantos do mundo...

2] Qual é a sua opinião sobre esses assuntos?

Partindo do princípio que, se não houver equilíbrio entre as compenentes MATERIAL e ESPIRITUAL do HOMEM, não será possível fazer avançar a HUMANIDADE, porque ela é o somatório dos 6 bilões de humanos, urge restaurar os valores que conduzem à realização plena ( à verdadeira felicidade ) de cada ser, deixando-lhe o exercício do livre-arbítrio e a consequente escolha do seu modelo de felicidade, e o respeito da sua identidade.
A Unidade e a Felicidade da Raça Humana jamais se conseguirá com a GLOBALIZAÇÃO porque ela é sinónimo de assimilação, negação, destruição e rotura desse equilíbrio vital que cada ser transporta nos seus gênes.
Por exemplo, acham que um muçulmano praticante poderá sentir-se feliz e realizado com a felicidade que lhe é prometida e oferecida numa bandeja por um infiel do outro cabo do mundo? E porquê? Pensem bem..., ou se preferirem, deixem-no ser simplesmente livre...de dar ao tempo e às coisas a relativa importância que elas têm para ele...
Infelizmente, hoje, Portugal e o Mundo estão REALMENTE repletos de desiquilíbrios ou, se preferirem, de equilíbrios... virtuais! Daí tantos males... e a razão da ineficácia dos remédios e dos mil e um tratamentos sugeridos e experimentados!
O MUNDO ainda não se apercebeu que quanto mais se aproxima da GLOBALIZAÇÃO, mais se afasta da sua realização e do equilíbrio final, porque a solução passa ... porque ela é SINGULARMENTE MULTIGLOBAL...

3] Enquanto cidadão, o que pensa que pode fazer ou deve ser feito sobre esses assuntos?

Como se devem ter apercebido, eu não falei de INJUSTIÇA, IMORALIDADE, EGOISMO, IRRESPONABILIDADE, INSEGURANÇA, TERRORISMO - verdadeiros problemas da(s) sociedade(s) de HOJE - ou de DIREITOS e DEVERES - , porque eles decorrem e são a consequência NATURAL do desrespeito e do desiquilíbrio crescente da essência ESPIRITUAL e MATERIAL da PESSOA HUMANA...
Já se interrogaram porque razão a UNIÃO SOVIETICA COMUNISTA – com o seu extremismo materialista - e o AFEGANISTAO TALIBÃ – com o seu radicalismo teocrático - ... FALHARAM redondamente?
PORTUGAL e o MUNDO... terão a mesma sorte se... não fizerem TUDO e RAPIDAMENTE para RESTAURAR IMPERIOSAMENTE ESSE EQUILÍBRIO VITAL, condição sine qua non da FELICIDADE HUMANA!!!
Por favor, SENHORES DO MUNDO, por uma vez esqueçam as vossas FUTILIDADES e apressem o TEMPO... antes que SEJA TARDE DEMAIS e a HUMANIDADE se perca em GUERRAS FATAIS!!!

1- A sociedade portuguesa parece um nobre arruinado que teima em viver da glória e da fama do passado, a quem os subsídios comunitários tornaram um verdadeiro parasita. Falta um desígnio nacional para Portugal! O egoísmo é por de mais evidente. Os cidadãos portugueses são passivos, oportunistas, invertebrados e tudo fazem para levar a vida na boa-vai-ela, vivendo de esmolas e subsídios diversos, quando não roubam descaradamente o tesouro público! Agindo assim e tornando-se um fardo para a sociedade, perderam a dignidade! Em Portugal reina a IRRESPONSABILIDADE, a IMORALIDADE e a INJUSTIÇA ao mais alto grau! Os Portugueses só lembram dos DIREITOS... Para eles não há DEVERES!

2-
É preciso MORALIZAR a sociedade, partindo do núcleo familiar e acabando nas cúpulas do ESTADO! O Exemplo deve vir de cima para que os de baixo sintam que não haverá laxismo para os prevaricadores! Para isso, deve exerce-se a JUSTIÇA! A impunidade, a promiscuidade e a leviandade terão que ser banidas e os VALORES MORAIS restaurados por toda a parte! Sem MORALIDADE e JUSTIÇA, será impossível REFORMAR O ESTADO E A SOCIEDADE!

3- OS CIDADÃOS devem saber que não há DIREITOS sem DEVERES ( que não há reformas sem descontos, rendimentos sem trabalho, democracia sem voto, diplomas sem exames, progresso sem eficácia, Liberdade sem responsabilidade..., paz sem disciplina e respeito..., solidariedade sem altruísmo etc! Enquanto o cidadão não se lembrar que a DIGNIDADE se reflete primeiro no espelho da nossa consciência...e sem ela não haverá FELICIDADE possível, todos os esforços para mudar a sociedade serão vãos! Ninguém pode exigir dos outros aquilo que não consegue fazer ele mesmo! Primeiro,MUDEMOS NÓS...

LMP - Luxemburgo, 2001

Portugal, o país dos anões ! ( ecos dos gritos de revolta )



PORTUGAL: o país dos ANÕES!!! - Terça-feira, 22/10/2002 às 07:56

Deixei Portugal há 27 anos, depois do Verão Quente de 75, e é com mágoa que o vejo ficar cada vez mais para trás! Portugal encolhe a cada ano que passa! Portugal está a tornar-se o PAÍS DOS ANÕES! Primeiro os anões POLÍTCOS, incapazes de traçar um desígnio para o país que deu ao MUNDO NOVOS MUNDOS, tornando-se aquele Gigante, MENTOR DA GLOBALIZAÇÃO! Só que, além de anões de alma, de moralidade e altruismo, os nossos POLÍTICOS são míopes, mesquinhos e CORRUPTOS!

Depois temos os ANõES EMPRESARIAIS! A nossa cultura de empresa é nula, porque, pura e simplesmente, PORTUGAL instituiu a CULTURA DA BURRICE em todos os sectores da sociedade e POVO é o primeiro a aprovar tais comportamentos porque, desesperado, não sabe mais SONHAR! Em Portugal, tudo tem que ser imediato, fácil e gratuito: é a cultura do CHICO-ESPERTISMO quem mais ordena e mais é valorizada! Os valores morais, o mérito, a honestidade são desprezados e achincalhados, mesmo na mais alta câmara da nação: a ASSEMBLEIA DA REPUBLICA, que se tornou o NINHO DOS ANOES-MORES e mais parece Portugal dos pequeninos!!!

Por último, temos os ANOES que se prezam de o SER: AS CASTAS DOMINANTES que tudo manietam, porque no REINO DOS ANõES tem que haver ANOES que para parecerem HOMENS NORMAIS, obrigam a que lhes chamem DOUTORES!!! Que miséria, Portugal!!! O PIOR de TUDO é que eles são obviamente e sobretudo ANOES MENTAIS E MORAIS!!! Anões assim, mas que, para mim, não passam de ANIMAIS!!!


LMP - Luxemburgo, 22-10-2002, terça-feira * 07H56'

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O(s) MILAGRE(s) (de) SARAMAGO !

No 1º dia da Primavera, assisti a uma palestra sobre o controverso e dificílimo, na compreensão subentenda-se, José Saramago, escritor atípico, a quem, finalmente, o comité Nobel decidiu galardoar com a máxima distinção a que um homem de letras pode aspirar, premiando a essência da lusofonia.

Quatro leitores conseguiram, em poucas e simples palavras, mas com muita e profunda convicção, popularizar Saramago e as regras de pontuação, demonstrando que, afinal, nem sempre são precisos sinais para se chegar a uma conclusão, quando se consegue ler e escutar, simultaneamente, a própria voz, ou, ainda, se tem a paciência e se deixa às palavras o tempo de germinarem na cabeça e se enraizarem no coração, antes de saírem, quantas vezes tontas, pela boca. José Saramago, que, ao que parece, se orgulha de não ser crente (no Omnipotente), também chegará a conhecer um dia à Verdade Suprema, trilhando os caminhos, para tantos errados, da sua Fé ( no Homem), como chegou ao Nobel de Literatura renegando muitas vezes a ditadura do literalmente correcto. É que um milionésimo de segundo basta para se perder ou se ganhar o direito de ter direito à VIDA terrena ou Eterna.

Eu, confesso, nunca gostei muito do escritor e nunca apreciei o político, o que me levou a, erradamente, ter preconceitos sobre o cidadão, mas agora, reconheço, só me resta acreditar no Homem, porque, talvez José Saramago não saiba nem acredite, a Cultura é um dos melhores alimentos da alma e eu prezo-me de ter uma que muito me pede e mais me reclama e, tão pobrezinho, quase nada lhe dou. E dizer que um ateu fez algo em que nunca acreditou: um milagre! Não, milagres! Senão vejam:

Primeiro milagre: acham que ele, o Zé, rapaz simples e humilde, que nada escreveu até à idade em que outros já estavam consagrados por um Dr., ― verdadeiro ou falso, pouco importa ― acham pois que o Saramago, revolucionário a quem os seus camaradas quase nunca destacaram, algum dia sonhou com a honra que o Nobel lhe atribui? Pois é, não diz o Evangelho que os últimos serão os Primeiros? E estas palavras sagradas se cumpriram pura e simplesmente na pessoa de um filho da gente mais humilde de Azinhaga. Terá o Zé pensado, ao escrever o Evangelho Segundo Jesus Cristo, o Crucificado, que por ele (entre outros) seria um dia Consagrado? Não sei, mas o que eu sei é que Deus escreve direito por linhas tortas e ao Saramago concedeu o dom de tal escrita. Mais,, também sei que lá nos confins do Universo, no meio de um Buraco Negro qualquer, há Deus que continua a brilhar desde sempre e para sempre mesmo para quem nele nunca chegar a acreditar.

Segundo milagre: Esse Deus, que nunca dorme e conhece o que foi, é e será, provou que o Ateu, (se é verdade o que dizem, o que eu duvido) ao acreditar no Homem está mais perto d’Ele, Suprema Verdade, e mais certo ao acreditar primeiro na metade ( o homem material ) do que o Crente que só quer ver o TODO OMNIPONTE, esquecendo-se que nada nem ninguém chega a grande sem ser e se fazer muito pequenino. Esse, ao ser assim arrogante, está a afastar-se de Deus, ao contrário do que possa pensar ou lhe possam dizer.

Terceiro milagre: este só a mim diz respeito e permitam-me que o guarde secreto por mais algum tempo. É que, muitas vezes, também se deve dar tempo ao tempo de ser, viver e sonhar. E, esse, ainda é um sonho meu. E mais milagres de Saramago não vos conto por que estou com pressa e me falta o papel para falar do Nobel em quem nunca acreditei, até porque, os milagres de José, esse Ser mago, continuarão depois da sua morte, porque para mim e para o Deus em que acredito, o menino de Azinhaga não morrerá jamais. E isto, não é meu, isto já me diziam os meus pais!

Talvez seja uma blasfémia para muito boa gente se eu disser e escrever que há crentes praticantes que são praticamente ateus, apesar de dizerem acreditar em Deus. Isto porque, vivendo em permanente contradição, dizendo uma coisa e fazendo outra, fazem subir muitas vezes o Credo (em Deus ) à boca, para esconder o diabo que trazem no coração. E esse não é, seguramente, o melhor caminho para se merecer a salvação, pois não? É que aos outros nós até podemos mentir, mas nunca a Deus e a nós próprios, não é, consciência? Mas quem sou eu para dizer ou escrever isto e pensar muito mais, que não digo nem escrevo agora, por não querer dizer algo, que me parece certo, na hora errada.

Escandalizei alguém? Se lhe fiz mal, ainda bem pois há males que vêm por bem !

Ana, Carlos, Ermelinda e Esperança bem hajam por me terem permitido escrever estas reflexões sobre a CULTURA SEGUNDO JOSÉ, o Ser amargo, e, sobretudo, por terem depositado no meu coração a semente da Fé no Homem, de quem se falou naquela bendita tarde de 21 de Março, dia em que nasceu a Primavera, por sinal…

O Destino marcou a hora e ainda bem que não cheguei atrasado! É que, quem me conhece, sabe que eu sou muito impaciente, pois acredito que para os seres só a VIDA, esta e a outra, é o Presente por excelência e tudo o resto passado. Quanto ao Futuro, esse, não passa de uma ilusão, um sonho, que nunca chega a ser realidade, porque o Futuro é a Eternidade!

Parabéns, senhor José Saramago!


LMP - Luxemburgo, 21 de Março de 1999

AMIZADE E RESPONSABILIDADE são compatíveis em polítiva? - Ecos do passado - I... ( gritos de revolta... )

Durantes anos, fui comentando e exercendo o meu direito à " revolta " pelas " safazedas " que os nossos políticos foram cometendo na ocidental praia lusitana.
Aqui ficam alguns, como eco do passado ingloriosamente refeito Presente...


A amizade e responsabilidade são incompatíveis, com estes políticos, Santana!Por LMP - Luxemburgo ( 19-12-2004 08:35 )
Referente ao artigo:

«Tenho as costas cheias de cicatrizes das facadas que levei»

Sr PM (1), como muitos portugueses, sei que a esquerda não presta e nunca prestou nenhum serviço ao país, apenas o atrasou com uma política de guerrilha e uma constituição retrógrada como os espíritos que a inspiraram ou conceberam! Mas também sei, Sr PM, que no execrável mundo da política, confiar nos amigos ou atribuir-les responsabilidades é puro suicídio, e isso está mais que provado desde os primórdios da história universal.

Antes de VE outros também receberam facadas daqueles em quem ingenuamente confiaram: o pai do pântano só caiu caiu nele porque acreditou em boys latados e depravados que em vez de servir o Estado e as suas instituições, passavam os dias e as noites nas maiores poucas-vergonhas, ora saqueando ou desviando os milhões com que pagavam os orgias e bacanais ou as pedofilias imorais.

Mas que coisa feia! Mas que coisa mais funesta! Mas que infâmia, filhos do xulalismo!
Há quatro meses atrás, outro candidato a regedor-mor da lusitânia, julgando-se traído pelo camarada presidente, mas que para ele não passava de um Jorginho dos tempos dos MES, retirou ilações precipitadas, isto porque o amigo presidente não o deixou enforcar-se! Via-se e sabia-se que o homem só tinha estomâgo, quando muito, para chefe de uma PM - Polícia Militar - num Ferrikistão qualquer!

Agora VE, Sr PM, também se vem queixar de ter recebido facadas nas costas? Então para que servem os exemplos da história? Quem lhe mandou escolher mal os seus amigos? Quem o aconselhou a confiar em amigos presunçosos? Por favor, Sr PM, retire-se por uns meses e dê ao seu partido a oportunidade de escorraçar de vez a corja socialo-comunista que quer destruir Portugal, que quer deixar o país sem concerto!

O povo até pode estar cheio de fome e, nesses casos, qualquer paio podre ou uma sopa de pedra serve, mas o Sr PM não precisa deste PAIO envenenado, mesmo que ele lhe seja oferecido por quem se diz SÃO por fora, porque por dentro todos nós sabemos que é tão podre como os camaradas que o precederam! Conselhos, presunção e água benta, cada um só toma a que quer!


(1) PM = Pedro SANTANA LOPES, exonerado pelo Presisente Sampaio, o único que deu um golpe constitucional, ao demitir um governo de maioria, para que os seus a Cow-boiada rosácea pudesse, depois de limpa da manha pedófila, assaltar legalmente o Estado, o que veio a acontecer com a Maioria Absoluta do golden-boy do PS, José Sócrates, o tal que, não se sabia ainda, se tinha formado por fax...

Pronto, vê-se que o povo lusitano é mesmo tonto e masoquista: apesar de espezinhado, enganado e flagelado, escolhe sempre aqueles que mais prometem...

LMP - Luxemburgo, 07-10-2009